Atitudes transformadoras

Atitudes transformadoras

Há quem torça o nariz para a expressão empoderar, derivada do inglês empowerment. De fato, causa estranheza que num idioma tão rico como o português tenhamos que pedir emprestado palavras na língua de Shakespeare. Contudo, o certo é que vivemos um momento no qual o empoderamento de grupos sociais se torna cada vez mais um caminho sem volta. E isso fica mais evidente entre as mulheres, pois não faltam exemplos de atitudes transformadoras protagonizadas por elas.

E não precisa ir muito longe, não. Quem vive em São Paulo, por exemplo, já deve ter ouvido falar da Favela de Paraisópolis, encravada no rico bairro do Morumbi, na Zona Sul da cidade. Pois é numa das “quebradas da comunidade” que desponta majestoso o Bistrô Mãos de Maria, que atua em duas frentes: valorização das mulheres e promoção da gastronomia saudável. O negócio é comandado por Elizandra Cerqueira, filha de migrantes nordestinos e que, graças ao seu trabalho, conseguiu se livrar de uma rotina de abusos e violência doméstica.

“O projeto visa trabalhar autoestima, segurança e estabilidade, então, o empreendedorismo dentro da comunidade é algo que se encontra em constante crescimento. O empreendedorismo foi uma forma que encontramos de emponderar nossas mulheres através da independência financeira. Buscamos dar oportunidade para que donas de casa comecem a ingressar no mercado de trabalho”, explica Elizandra que também preside a Associação das Mulheres de Paraisópolis, Elizandra Cerqueira.

Elizandra (à dir.) chefia Bistrô que gera empregos e promove uma vida saudável

O trabalho realizado por ela é visto como modelo e fonte de inspiração para mulheres de todas as classes sociais, como as empresárias Maria Rosa e Daniela Casabona, fundadoras da grife La. T. Nesta quinta-feira, 30/8/18, elas estiveram em Paraisópolis para participar de uma roda de conversa com integrantes da comunidade. “Nossa ideia é compartilhar nossa história, e mostrar para essas mulheres o quanto elas são especiais e guerreiras”, explica Daniela.

O local escolhido foi o Bistrô e, ao final, as empresárias doaram camisetas estampadas com uma frase bem sugestiva e provocativa: Brasil not for beginners (O Brasil não é para iniciantes, em tradução literal), nas costas e o brasão da República na parte da frente. Tratam-se de peças não comercializadas durante a Copa do Mundo, quando a coleção foi lançada. “Quisemos ajudá-las a acreditar que mesmo em um momento difícil, sempre vale a pena trabalhar e que lutar pelos seus sonhos é muito importante”, diz Daniela, sócia da grife La.T. “Não é fácil, passamos por dificuldades, mas é muito bom mostrar que estamos todas juntas nessa batalha”.

(Visited 41 times, 1 visits today)