Sustentabilidade na prática

Sustentabilidade na prática

Hábitos são difíceis de serem mudados. É verdade. Contudo, assim como normalmente naturalizamos os erros, o que faltaria para fazermos o mesmo em relação aos acertos? Afinal, uma vida saudável não é e nunca foi sinônimo de uma vida sem prazeres. No entanto, muitas vezes o que falta é uma ajudinha para que coloquemos em nossa rotina uma série de coisas bacanas. E é isso que propõe o mestre em administração e professor da ESPM-SP, Marcus Nakagawa, no livro 101 Dias com Ações Mais Sustentáveis para Mudar o Mundo.

A grande vantagem da obra, que foi realizada a partir de uma vaquinha virtual, é que ela funciona como um manual para quem deseja fazer uma transição, sem traumas, para uma vida melhor. E resumo: é a sustentabilidade na prática. “Meu objetivo é desafiar as pessoas a adotar ações mais sustentáveis, desmistificando a ideia de que a sustentabilidade é algo difícil de ser alcançado”, explica Marcus.

Sustentabilidade-na-prática De fato, o livro ganha o leitor já nas primeiras páginas. Escrito de forma direta, a obra é dividida em tópicos baseados nos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Neste contexto, as dicas sobre o uso racional de recursos do planeta aparecem ao lado de sugestões de como se engajar em atividades ao ar livre, como caminhadas e corridas associadas a propósitos como campanhas de arrecadação de alimentos ou de doação de recursos para ONGs.

Apesar de compilar uma série de informações adicionais, como links para vídeos e textos acadêmicos e jornalísticos sobre cada um dos 101 tópicos, Nakagawa deixa claro que sua ambição não é esgotar o tema. “Eu ficarei satisfeito se souber que estou ajudando as pessoas a reduzir sua pegada ecológica no planeta”. Para conseguir isso, de acordo com o especialista no tema, basta aderir a ações triviais e até prosaicas. Tais como doar cabelo para ONGs de apoio a crianças com câncer, adquirir produtos de cooperativas para presentear amigos ou adotar um animal abandonado.

Todos estes insights fazem parte do repertório que Nakagawa adquiriu no período nos quase 20 anos em que milita na área. É que além de ser professor de graduação e pós-graduação na ESPM, ele também atuou por um longo período como gestor de sustentabilidade de grandes empresas e consultor. Hoje, atende o segmento corporativo apenas por meio de palestras e workshops. “Comecei a pensar neste livro em outubro, um pouco antes de completar 40 anos”, conta.

Desenho de Nena, filha do autor, ilustra o último capítulo do livro

Esta espécie de guia de sustentabilidade na prática, chega num momento em que temas até então próprios de especialistas, como trabalho com propósito, começam a ganhar espaço na vida de pessoas de todos os estratos sociais. “Pesquisas realizadas pela Nielsen (consultoria especializada em hábitos de consumo) indicam que as pessoas estão dispostas a pagar mais por produtos de empresas responsáveis”, destaca.

Além dos dados que recolhe em suas pesquisas e na interlocução com empresas, Nakagawa também possui outra forma de “medir a aceitação” das teses que defende: a sala de aula. “Além dos integrantes da geração Y, os que compõem a Z também enxergam valor num estilo de vida sustentável”.

O lançamento de 101 Dias com Ações Mais Sustentáveis para Mudar o Mundo acontece na quarta-feira 6/6, no Fórum Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Dia a Dia, no Museu de Arte de São Paulo (MASP). Informações aqui.

 

SAIBA MAIS

Sobre a pesquisa sobre hábitos de consumo, da Nielsen

 

 

 

 

 

 

(Visited 89 times, 1 visits today)