Viagem pela solidariedade

Os números da Smiles, empresa que administra um dos maiores programas de recompensas do Brasil, impressionam. Seus cerca de 12 milhões de clientes acumulam um saldo anual de 50 bilhões de milhas. Este montante se converte em passagens aéreas, produtos de consumo (aparelhos eletrônicos, por exemplo) e diárias em hotel ou de locação de veículos. Agora, também poderão servir para bancar ações sociais. Para anunciar o programa Milhas do Bem, a empresa reuniu, nesta terça-feira (25/7) ativistas de causas sociais, membros do segmento acadêmico e empresários no roof top de um hotel nos Jardins, bairro nobre da Zona Oeste da cidade de São Paulo.

“Hoje é o dia mais feliz da Smiles desde seu nascimento”, disse o bem-humorado Leonardo Andrade, CEO da empresa, um tanto “desajeitado” na função de mestre de cerimônia. De acordo com o executivo, o projeto é fruto de um longo estudo que envolveu todos os departamentos da empresa. “Em vez de assinarmos um cheque e fazer uma grande doação, preferimos sensibilizar nossos clientes a aderir a uma das causas selecionadas”.

A lista inclui seis iniciativas robustas como a ONG Parceiros Voluntários, de Porto Alegre, criada e comandada por Maria Elena Pereira Johannpeter, a entidade foi uma das destacadas no Prêmio Empreendedor Sustentável 2016, de 1 Papo Reto. O Instituto Reação, do Rio de Janeiro, encabeçado pelo ex-judoca e apresentador de TV Flávio Canto, e a Junior Achievement Brasil. Completam a lista a Cruzada do Menor, do Rio de Janeiro, a Fundação Dom Cabral, de Minas Gerais, e a ESPM, de São Paulo. “A importância deste evento é colocar a agenda da responsabilidade social no centro do debate”, destaca Maria Elena.

“Hoje é o dia mais feliz da Smiles desde seu nascimento”, diz o CEO Andrade

As doações se darão a partir de uma sistemática semelhante a do regaste convencional de pontos. Para isso, bastará ao cliente da Smiles clicar no site da empresa, no espaço destinado ao projeto que deseja beneficiar. A cada milha doada, a empresa destinará outra e o crédito na conta da ONG acontecerá ao final e cada mês, como ocorre com os demais parceiros. “Fizemos questão de usar a mesma plataforma para facilitar a vida dos clientes e mostrar que o processo está integrado ao business da Smiles”, explica Andrade.

Não existe um período para a duração do projeto, tampouco uma meta em relação ao valor a ser repassado para as instituições. Apesar disso, a empresa se cercou de alguns cuidados. O principal deles é que as doações não poderão representar mais do que 15% do orçamento mensal da ONG. “Não queremos que haja uma dependência excessiva, que gere desequilíbrios futuros na entidade”.

Mesmo não se comprometendo com metas, o CEO da Smiles torce para que o montante de resgates destinados às causas sociais chegue a 1 bilhão de milhas por ano. Levando-se em conta o valor de venda de R$ 140 por cada lote de 10 mil, as ONGs contarão com um belo reforço de seus caixas.

Importante. O acesso às Milhas do Bem tem de ser feito a partir do Shopping Smiles, área de resgate de recompensas.

 

SAIBA MAIS:

Sobre a Parceiros Voluntários

Sobre o Instituto Reação

Sobre o Prêmio Empreendedor Sustentável

(Visited 23 times, 1 visits today)