Libertando o lirismo da África

Em mundo globalizado, claro que, para aqueles que podem ter acesso, diversos recursos e técnicas são indispensáveis para divulgar trabalhos e buscar informação e conhecimento de qualidade. Desta vez, trago para vocês uma ideia muito interessante de divulgar e permitir que a arte literária chegue em todos os cantos do mundo.

Como educador no mundo da arte, sei da necessidade de questões de identidade e sei que preciso estar informado sobre assuntos que se referem à cultura afro. É por isso que apresento aqui um site muito interessante no que se refere a poetas de diversas partes do mundo.

É bom dizer que esses caras são escritores não renomados, ao menos não os assim chamados escritores de uma cultura elitizada.

Eles são publicados na plataforma online Badilisha Poetry X-change, que reúne mais de 350 poetas do continente africano de países como África do Sul, Moçambique, Namíbia, Ruanda, Nigéria, Zimbábue e outras 16 nações.

Os poemas falam sobre temas variados. Muitos têm como mote principal a ideia da ancestralidade, em um misto de amor, espiritualidade, além de revelar as marcas deixadas pela diáspora negra. Dá para navegar no site buscando poemas por autores, por temas e, até mesmo, por emoções! Como ódio, amor, felicidade etc.

Idealizada pela organização African Centre, com sede na Cidade do Cabo, na África do Sul, e gerida pela poeta e artista Linda Kaoma, a plataforma tem como propósito promover um intercâmbio cultural. Os autores explicam que os poetas dos países africanos são pouco conhecidos e apresentam uma estatística alarmante: de todos os livros publicados no mundo, o trabalho de autores africanos correspondem a apenas 2%.

Os poemas publicados podem ser lidos e ouvidos em sua língua materna, nos podcasts: uma musicalidade de dialetos que encanta os ouvidos num doce embalo. Como poucos entendem, ao final há uma explicação em inglês. Não se trata da tradução exata, apenas um resumo. De qualquer forma, o esforço feito para colocar o projeto em pé é de se aplaudir.

No Brasil

Trazendo esta ideia para a realidade brasileira, principalmente dentro das escolas, está aí uma ferramenta a mais para uma melhor inserção da Lei 10.639, que dispõe sobre a obrigatoriedade do ensino da história e cultura afro-brasileira.

Para quem quiser conhecer poetas africanos, a plataforma é uma grande e excelente maneira de se divulgar e propagar uma cultura tão rica e que não pode deixar ser passada em vão.

O link da plataforma para quem se interessar é: http://badilishapoetry.com

Boa semana a todos!