Em meio a pandemia, cresce o movimento orgânico no Brasil

Em meio a pandemia, cresce o movimento orgânico no Brasil

O setor de orgânicos cresceu 30% em 2020, de acordo com dados da Organis (Associação de Promoção dos Orgânicos), reforçando um mercado que vem crescendo de forma constante e consistente ao longo dos anos. 

Ainda de acordo com a Organis, quadruplicou as vendas entre 2003 e 2017 e cresceu 15% em 2019.

 Ajude 1 Papo Reto a continuar divulgando as grandes iniciativas em ESG, inovação e empreendedorismo de impacto social: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou faça uma DOAÇÃO

 

Em tempos de pandemia e consequente quebra de paradigmas, essa informação permite diversas leituras.

crescemorganicoFazenda de orgânicos, no interior de São Paulo

Olhando pelo ponto de vista de negócios, foi um mercado que cresceu (e muito) mesmo em um cenário de crise econômica. Indica que o setor está cada vez mais profissionalizado e que os produtores, agricultores familiares em sua maioria, estão preparados para reagir rápido e atender às demandas de mercado. Além disso, é um setor que cresce em ritmo acelerado mesmo com pouco incentivo de políticas governamentais.  Com mais apoio o salto seria ainda maior.

Do ponto de vista da saúde, os orgânicos estão consolidados como um alimento mais saudável, que contribui para aumentar a imunidade. Esse, sem dúvidas, foi um grande impulso para o crescimento dos orgânicos em 2020. Um ano em que as pessoas buscaram se alimentar de forma mais saudável.  

Há ainda os benefícios ambientais. O crescimento dos orgânicos implica no aumento da produção agrícola de bases sustentáveis e conservacionistas. Ou seja, não agride o meio ambiente a ainda reverte processos de degradação da natureza, com técnicas que aumentam a infiltração da água no solo, promovem a captação de gás carbônico da atmosfera e, consequentemente, ajudam a combater as mudanças climáticas.  E o combate às mudanças climáticas é tema essencial para a sobrevivência da humanidade.

Essas são apenas algumas das leituras possíveis, e as mais óbvias.

O setor ainda tem muitos desafios pela frente:  deixar de ser considerado um nicho de mercado, aumentar a produção em escala e ter preços mais acessíveis ao consumidor sem, no entanto, esmagar o produtor (especialmente o pequeno) como acontece na chamada agricultura convencional.

Todos esses desafios estão na pauta de quem trabalha com orgânicos e apontam que há muito espaço para investimento.

São leituras e informações que mostram a força do movimento orgânico. Um movimento que nos oferece um sopro de esperança em tempos tão áridos.

Milena Miziara
Author: Milena Miziara
Sobre o/a Autor(a)
Milena Miziara é jornalista. Desde 2019 também atua como sócia-fundadora da marca de frutas Laverani Orgânicos (SP)
Mais artigos