Tempo de Carnaval e de consciência ambiental

Fabricante de latas se une a cooperativa de Gramacho para dar um destino responsável para os resíduos gerados em torno do Sambódromo do Rio de Janeiro

Pode-se dizer, quase sem medo de errar, que o Carnaval é um dos feriados mais aguardados pelos brasileiros. Afinal, são ao menos quadro dias longe do trabalho ou dos estudos, nos quais é possível cair na folia, viajar ou mesmo ficar em casa curtindo séries na TV por assinatura. Do ponto de vista econômico, a festa faz a alegria de diversos setores. Um deles é o de bebidas, que tem no reinado de Momo um dos picos de consumo. Quem também ganha com isso são as empresas de embalagens, especialmente as de alumínio, usadas para envasar chás, refrigerantes, energéticos, cervejas e outras bebidas consumidas tradicionalmente geladas.

O pico de consumo de bebidas, no Brasil, também representa uma oportunidade de negócios para as cooperativas de reciclagem. Especialmente em torno do Sambódromo do Rio de Janeiro que, em sete dias de desfiles, atrai milhões de pessoas para as cercanias da Cidade Nova, região onde estão localizados a Passarela e o Terreirão do Samba.

do meu lixo cuido eu 1 papo reto novelis ball corporation 585x317Integrantes da Associação de Catadores na área de reciclagem perto do Sambódromo

Pois, a exemplo de 2018, neste ano, além das escolas de samba, quem vai desfilar nesta festa são os integrantes da Associação de Catadores do Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho, situada no município de Duque de Caxias e liderada pelo empreendedor Tião Santos. Por meio do projeto Do Meu Lixo Cuido Eu, 85 cooperados farão o recolhimento e classificação dos resíduos sólidos descartados pelos foliões. As latinhas serão repassadas para a Ball Corporation, empresa americana que domina 54% deste segmento, na América do Sul. O projeto faz parte da inciativa Vá de Lata, criada pela empresa e que conta com o apoio da compatriota Novelis.

A seguir, um resumo da entrevista feita por 1 Papo Reto com a gerente de Comunicação e Comunidades da Ball América do Sul, Thaís Moraes. Ela fala sobre os objetivos da campanha e a importância dos megaeventos no trabalho de conscientização acerca da importância da reciclagem.

Qual a estimativa da Ball em termos de volume arrecadado nos 5 dias de desfiles na Sapucaí?

Esperamos que mais de 14 toneladas de resíduos sejam reciclados até o fim do Carnaval. Lembrando que o projeto `Do Meu Lixo Cuido Eu´ é apoiado pela Novelis, recicladora oficial das latinhas da Sapucaí 2019, e faz parte da campanha de carnaval `Quem curte natureza e diversão, cai na folia de latinha na mão´, lançada pelo Vá de Lata, movimento criado pela Ball Corporation – maior fabricante de latas de alumínio do mundo – para conscientizar sobre as vantagens da embalagem mais amiga do meio ambiente.

A empresa realiza ações semelhantes em outros megaeventos, caso positivo, qual o balanço em volume de coleta? 

Além de manter canais nas redes sociais, com informações diárias sobre consumo consciente, reciclagem, educação ambiental, calendário de eventos nacionais etc., trabalhar junto a influenciadores nas áreas de sustentabilidade, lifestyle e lazer, o Vá de Lata aproveita momentos de pico no consumo de bebidas, como o verão, o carnaval e a Copa do Mundo, para fazer campanhas mais enfáticas. Em 2018, fez campanhas de conscientização no Carnaval e, durante a Copa do Mundo, quando lançou a ação `Quem torce pelo mundo bebe na latinha´, onde torcedores puderam trocar suas latas usadas por mudas de árvores. Cerca de dez hectares de Mata Atlântica foram reflorestados.

Quais são as cooperativas envolvidas no projeto? Elas foram selecionadas pela Ball? Terão garantida uma remuneração mínima?

 

Thais Moraes gerente de Comunicacao e Comunidades da Ball America do Sul 199x300Cerca de 85 integrantes da Associação de Catadores do Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho, estarão trabalhando no projeto. Eles terão uma remuneração fixa diária, além de uma porcentagem a cada quilo de latas coletadas.

Tão ou mais importante que recolher as latinhas é ensinar os cidadãos a terem uma postura de conservação, reduzindo o consumo e fazendo o descarte de forma correta. Qual será a base para captação/recolhimento das latas: ecopontos e lixeiras fixas e móveis, por exemplo? Está prevista alguma ação de conscientização?

Durante os desfiles, os agentes do projeto `Do Meu Lixo Cuido Eu´ estarão conscientizando foliões nas arquibancadas e nas frisas, ensinando-os a separar resíduos orgânicos e recicláveis durante a festa. A cada intervalo, os materiais serão recolhidos por catadores e levados para uma esteira de separação na Sapucaí. Lá, a equipe irá tratar os resíduos e depois encaminhá-los para a destinação correta. Acreditamos que essa iniciativa ajuda a educar o folião sobre como é possível aplicar essa prática no nosso dia a dia, de uma maneira simples, além de colocar luz sobre o importante papel dos catadores para a nossa sociedade – eles são os verdadeiros agentes ambientais.

Nota do editor: post editado às 12h18 de 3/3/19, para troca da foto dos recicladores.

Rosenildo Ferreira
Author: Rosenildo Ferreira
Sobre o/a Autor(a)
Rosenildo Ferreira é o fundador e publisher do portal de notícias 1 Papo Reto e cofundador da Vale do Dendê.
Mais artigos