Agricultura orgânica é menos produtiva?

Agricultura orgânica é menos produtiva?

Uma das principais dúvidas em relação à produção orgânica está relacionada à produtividade.

Ainda existe o mito de que a agricultura orgânica é menos produtiva e que não seria capaz de atender às demandas alimentares da população mundial.

 Ajude 1 Papo Reto a continuar divulgando as grandes iniciativas em ESG, inovação e empreendedorismo de impacto social: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou faça uma DOAÇÃO

 

Mas com o avanço da produção orgânica no país, o que se vê é justamente o contrário.  A agricultura orgânica, quando bem manejada, tem se mostrado tão ou mais produtiva que os modelos tradicionais de cultivo do solo.  

Estudos mostram que os principais fatores que levam ao aumento da produtividade em culturas orgânicas e de bases sustentáveis são a recuperação e a preservação da saúde e da vida no solo.  

No 7° Encontro de Agricultura Sustentável, promovido online pelo GAAS (Grupo de Agricultura Sustentável) de 27 a 29 de abril, a phd em microbiologia do solo e pesquisadora da Embrapa, Iêda Mendes, apresentou dados de aumento de produtividade em propriedades que adotaram manejos sustentáveis. Os produtores que investiram em diversificação e rotação de culturas no cultivo de grãos para incrementar a biodiversidade e a vida do solo obtiveram resultados positivos em solos quimicamente semelhantes. Os resultados devem-se ao aumento da atividade enzimática promovida pelos microorganismos presentes no solo.

O casal Nivaldo e Adriana Suguimoto (na foto acima), do Orgânicos na Pedra, produtores de frutas e hortaliças no interior do Estado de São Paulo, viveu na prática os efeitos da falta de atividade biológica no solo.

platacao de mamao da organicos na pedra Laverani 1 papo reto*Plantação de mamão do Orgânicos na Pedra é exemplo de gestão ecológica do solo*“Por mais que adubássemos a terra, não estávamos produzindo e tínhamos problemas de qualidade no pós colheita. Alguma coisa estava errada”, conta Nivaldo Suguimoto. Depois de 60 anos de agricultura convencional intensiva no sítio da família, a agricultura natural foi a solução que encontraram recuperar a produtividade das lavouras. “Iniciamos um trabalho de manejo natural, com orientação técnica do agrônomo Emerson Coghi, do professor Paulo Chagas e por Hiroshi Ota. Fomos tirando o herbicida, a adubação química e, por incrível que pareça, começamos a produzir”.

O produtor explica que durante o período de transição do manejo convencional para o orgânico a produtividade dos pomares caiu bastante, mas que hoje, no segundo ano de produção de mamão formosa orgânico a expectativa é colher, no mínimo, o dobro do melhor pomar de mamão cultivado no sistema convencional, em uma área em que a família produz mamão há 20 anos. O ganho de produtividade veio do aporte de matéria orgânica e manejo para aumentar a atividade biológica do solo.

“Em busca de informação, fui abrindo a minha cabeça para o cultivo orgânico. A primeira coisa que precisa ser desintoxicada não é o solo, é a cabeça do produtor. Eu ficava em dúvida, preocupado com a baixa produtividade, e o consultor dizia, calma que vai melhorar” diz.

Atualmente, a Embrapa acompanha uma pesquisa realizada no sítio do casal para investigar os efeitos da atividade biológica do solo no cultivo de hortaliças. “A vida biológica do solo é o mais importante, pois melhora a sua qualidade e disponibiliza os nutrientes para a planta”, explica Suguimoto.

Mais um ponto para os orgânicos. Não só produz alimentos saudáveis e presta serviços ambientais, como aumenta a produtividade da lavoura quando bem manejado.