O doce encanto da Casa Amarela

O doce encanto da Casa Amarela

A Lista de Desejos de boa parte dos brasileiros inclui alguns itens comuns a integrantes de todas as classes sociais. O primeiro deles é a aquisição da casa própria. O segundo é abrir um negócio. Seja por necessidade ou por vocação, o ritmo de registro de pequenas e microempresas não para de crescer. De acordo com dados do Sebrae, no ano passado, foram emitidos 3,9 milhões de CNPJs, número que representa avanço de 19,8% em relação a 2020. Deste total, 3,3 milhões se enquadram como de pequeno e médio portes.

A profusão de novos negócios vêm no bojo de uma série de mudanças nos hábitos de consumo e cujo ritmo foi acelerado a partir das restrições geradas pela pandemia de COVID-19: delivery, compras pela Internet e hiperlocalidade. Segundo pesquisa da WD Partners Research e da Mckinsey, nada menos que 88% dos consumidores, em escala global, pretendem adquirir bens e serviços ofertados próximo de sua casa ou local de trabalho.

Foi nessa onda que surfou a família Camargo Pessoa, que comanda a Casa Incânta Gourmet, doceria situada no bairro do Brooklin, na Zona Sul da cidade São Paulo. “Fizemos uma pesquisa pelo bairro e descobrimos que só existiam padarias e cafeterias semelhantes às de aeroporto: sem qualquer charme e cujo interior não era convidativo”, diz Natália Camargo Pessoa, sócia diretora da empresa. “A partir daí, percebemos que havia espaço para um local que oferecesse produtos de qualidade, mas que também fosse um espaço acolhedor e de afeto.”

Porém, como nem tudo são flores na trajetória de um empreendedor, a Incânta Gourmet viveu dias difíceis logo após abrir as portas, em novembro de 2019. Isso porque, quatro meses depois foi decretada a quarentena, no Estado de São Paulo. Salvou-os a experiência com o sistema de delivery – por quatro anos, o irmão Carlos Camargo Pessoa comandara uma dark kitchen especializada em doces – e o fato de muitas empresas terem colocado seus funcionários em home office. “O bairro nos abraçou. Os vizinhos passaram a enxergar a Casa como um ponto de encontro”, lembra Natália.

Outros aspectos também pesaram positivamente. Um deles foi a capacidade de mobilização dos integrantes da família Camargo Pessoa – além de Natália e Carlos, a outra sócia é a mãe, Juci, responsável pelo RH e pela contabilidade da empresa. “Também fizemos a nossa parte para que as coisas acontecessem. Nos unimos aos demais comerciantes e lançamos campanhas para incentivar o consumo no comércio local.”

Hoje, da cozinha da Casa Amarela, como a Incânta Gourmet também é conhecida, saem mensalmente 80 bolos, 240 pães de queijo e 60 tortinhas consumidas localmente. Parte expressiva do faturamento provém das encomendas para eventos familiares ou das empresas da região da avenida Luís Carlos Berrini, conhecida por abrigar dezenas de torres comerciais.

Incanta Gourmet 1 papo retoEquipe com propósito (a partir da esq.): Natália, Carlão, Livia, Kelly, Lourranie e Juci

Para dar conta dessa tarefa, o chef Carlos, formado em gastronomia e com especialização em panificação e confeitaria e 15 anos de atuação no setor, conta com três ajudantes: Lourranie Masson, 19 anos, Kelly Vicente, 21 anos, e Livia Cabral, 19 anos. Em comum, elas possuem o fato de serem oriundas do projeto Chef Aprendiz, iniciativa destinada a formação pessoal e profissional de jovens a partir da gastronomia. “Elas são muito participativas e sempre trazem ideias novas”, derrete-se Carlão, como o chef é mais conhecido entre os amigos.

Mais que apenas uma opção de primeiro emprego, os gestores da Casa Amarela posicionam o negócio como um espaço de acolhimento e formação continuada. Contratadas como assistente de confeitaria, elas são incentivadas a desenvolver novas habilidade profissionais. “Hoje, na minha ausência, quem responde pela cozinha é a Livia”, conta Carlão.

A parceria entre o Chef Aprendiz e a Incânta Gourmet aconteceu meio que por acaso. “Estávamos na fase de estruturação do negócio quando, navegando no Instagram, fui parar na página deles”, lembra Natália. A partir daí, ela enviou um email pedindo mais informações e acabou utilizando o projeto como base de contratação de pessoal. “Percebemos que compartilhávamos os mesmos propósitos de solidariedade e afeto.”

 

SAIBA MAIS

Sobre o recorde na abertura de empresas, em 2021

Sobre a tendência de consumo hiperlocal (em inglês)

Sobre o projeto Chef Aprendiz

  

Rosenildo Ferreira
Author: Rosenildo Ferreira
Sobre o/a Autor(a)
Rosenildo Ferreira é o fundador e publisher do portal de notícias 1 Papo Reto e cofundador da Vale do Dendê.
Mais artigos